PANDEMIA DA COVID-19 AUMENTOU EM 41% DIAGNÓSTICOS DE DEPRESÃO NO BRASIL

 Pesquisa inédita que avalia os impactos negativos da pandemia da covid-19 na saúde da população brasileira revelou que, entre o período pré-pandemia e o 1º trimestre de 2022, foi registrado um aumento de 41% no diagnóstico médico de depressão da população brasileira. Os dados são do Covitel — Inquérito Telefônico de Fatores de Risco para Doenças Crônicas Não Transmissíveis em Tempos de Pandemia — e foram divulgados nesta quarta-feira (27/4).

 Dados são do Covitel, pesquisa inédita que avalia os impactos negativos da pandemia na saúde da população brasileira – Foto: Kieferpix/University College London

 Antes da pandemia, 9,6% dos brasileiros entrevistados haviam sido diagnosticados com depressão. O número passou para 13,5% no primeiro trimestre deste ano. O aumento do diagnóstico médico da depressão entre os períodos foi maior entre mulheres e pessoas com maior escolaridade.

 Entre as mulheres houve aumento de 39,3%. O diagnóstico da depressão no grupo feminino foi maior do que no masculino em ambos os períodos, tanto antes da pandemia como depois.

Comentários